Óbitos de crianças por acidentes domésticos caem 31%

Nos últimos dez anos, o Brasil apresentou redução de 31% nos óbitos decorrentes de acidentes domésticos com crianças de até 10 anos. O número, que em 2000 era de 868, caiu para 595 em 2010, representando 31% de redução desse tipo acidente.

As principais causas de mortes, segundo o Ministério da Saúde, ocorrem por acidentes relacionados à respiração (como sufocação na cama, asfixia com alimentos e outros), seguidos por acidentes com afogamentos e exposição à fumaça e ao fogo. 

As internações de crianças por acidentes domésticos também registraram queda. No ano de 2010 foram 11,6 mil internações, que custaram cerca de R$ 8 milhões ao Sistema Único de Saúde. Já em 2011 o número de hospitalizações caiu para 10,2 mil. As principais vítimas, dentre a faixa etária de 0 a 9 anos, são menores de 1 ano. Em 2010 foram 253 mortes em crianças dessa faixa, sendo 123 casos a mais com relação ao ano 2000.

Desde a última década, o Ministério da Saúde investe na Política Nacional de Redução da Mortalidade por Acidentes e Violências. Ao longo desses anos, foram desenvolvidas diversas estratégias para a implantação dessa política, a Rede Nacional de Prevenção da Violência e Promoção da Saúde é uma delas e hoje conta com mais de 800 municípios atuantes, que desenvolvem ações de vigilância, prevenção e atenção às crianças e adolescentes.

Outro investimento foi a implantação do VIVA – Sistema de Vigilância de Violências e Acidentes, que tem por objetivo obter informações sobre o comportamento desses agravos, bem como subsidiar ações de enfretamento dos determinantes e condicionantes das causas externas. Desde sua implementação o VIVA atendeu mais de 15 mil vítimas de acidentes domésticos através do SUS. Desse total, 32% eram menores de 9 anos, sendo 4.740 crianças. Em pesquisa realizada em 2009, o VIVA mostra que nos casos de acidentes com crianças, 57% dos atendimentos foram com meninos, sendo mais da metade decorrentes de quedas e lesões como cortes e lacerações.

Nos casos de acidentes que envolvem materiais de limpeza ou outros produtos tóxicos, O Ministério da Saúde recomenda a chamada imediata para o número 192 do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU). Nesses casos, o SAMU orienta, aos pais ou responsáveis, os procedimentos necessários para realização dos primeiros socorros, até que seja encaminhado atendimento médico ao local. Esse método também auxilia na redução de óbitos por acidentes domésticos.

"A criança não tem o conhecimento do risco. Cabe aos adultos evitar as situações perigosas. Janelas devem ter grade ou tela. Todo o cuidado deve ser tomado ao manipular o fogão, deixando panelas ou vasilhas quentes em lugares que a criança não possa alcançar. Com materiais de limpeza a recomendação é a mesma para evitar intoxicações", aconselha a diretora de Análise de Situação em Saúde, Déborah Malta.


Fonte: Ministério da Saúde

Atendimento Online


LiveZilla Live Help

Horário de Atendimento: Segunda a Sexta
Das 08h00 às 17h

Calendário de Enfermagem 2014


Enquete

Qual o seu maior interesse pelo Programa Proficiência?

Redes Sociais