Comissão de Controle de Infecção Hospitalar

A Infecção Hospitalar (IH) é definida pelo Ministério da Saúde (MS), em sua Portaria nº 2.616/98 como aquela adquirida após a admissão do paciente e que se manifeste durante a internação ou após a alta, quando puder ser relacionada com a internação ou procedimentos hospitalares (SESA, s.d; BRASIL 1998).


As IH advêm, em parte, de situações que causam alterações na condição orgânica e imunológica do paciente, deixando-os mais suscetíveis no ambiente hospitalar. Por outro lado, em relação à organização do trabalho que se mostra diretamente na ação do trabalhador, que justifica, através da necessidade apresentada pelos indivíduos, a utilização de procedimentos invasivos, no processo de cuidados diretos (AZAMBUJA; PIRES; VAZ, 2004).

As infecções hospitalares constituem risco significativo à saúde dos usuários de instituições de saúde e sua prevenção e controle envolvem medidas de qualificação da assistência hospitalar, de vigilância sanitária e outras, tomadas no âmbito do Estado, do Município e de cada hospital (BRASIL, 1998).

Existem IH preveníveis e outras não, no entanto, mesmo que nem toda infecção possa ser prevenida, necessita-se a busca de índices aceitáveis, pois a baixa adesão às medidas de prevenção ainda é um desafio. Dentre as justificativas para não adesão, destacam-se déficit na estrutura física, nos recursos materiais e humanos; aspectos organizacionais e administrativos; baixo nível de conhecimento e de percepção de risco, etc. (TIPPLE; SOUZA, 2011).

A Portaria do M.S nº 196, de 24 de junho de 1983, instituiu a implantação de Comissões de Controle de Infecção Hospitalar em todos os hospitais do país (SESA, s.d).

Segundo Turrini (2004 apud CUCOLO; FARIA; CESARINO 2006, p. 50) os SCIH tem realizado capacitação dos profissionais e o envolvimento dos enfermeiros, a fim de torná-los multiplicadores das ações referentes à prevenção de IH. 

Toda e qualquer IH quando detectada deve ser notificada pela Comissão de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH) da instituição. Em 2009 o Paraná foi o primeiro Estado a implantar um Sistema on-line de Notificação de Controle de Infecção Hospitalar (SONIH), visando proporcionar maior facilidade e agilidade no envio das fichas de notificação de IH e análise dos dados pelos Hospitais e pelo Departamento de Vigilância Sanitária. O SONIH também representa uma ferramenta extremamente útil aos hospitais notificantes porque calcula os dados de forma automática e possibilita a criação de um banco de dados próprio para cada CCIH dos hospitais paranaenses (SESA, 1998).

A CCIH deverá ser composta, por técnicos e profissionais do Serviço de Controle de Infecção Hospitalar (SCIH), e por representantes de nível superior de, pelo menos, os seguintes serviços: médico; equipe de enfermagem; farmácia; laboratório de microbiologia; administração. O MS determina que, compete a CCIH definir as diretrizes para a ação de controle de infecções hospitalares no hospital; ratificar a programa anual de trabalho do SCIH; avaliar o Programa de Controle de Infecções Hospitalares do hospital; avaliar sistemática e periodicamente as informações providas pelo sistema de vigilância epidemiológica; aprovar as medidas de controle propostas pelo SCIH e comunicar, regular e periodicamente, à Direção e às chefias de todos os setores do hospital a situação do controle das infecções hospitalares, promovendo seu amplo debate na comunidade hospitalar (BRASIL, 1992).

Ao longo dos anos o controle de infecção hospitalar foi evoluindo e hoje não se restringe ao meio hospitalar, mas também a todos os estabelecimentos da área de saúde, nos quais apresentam risco para o aparecimento das infecções (PEREIRA et al., 2005).

Caro colega gostou do Blog de hoje? Deixe o seu comentário abaixo contando a sua experiência com relação ao tema.

Elaborado por: Isabela Patrícia Borges e Leliane B. da Silva Rodrigues 

Referências

AZAMBUJA, E. P.; PIRES, D. P.; VAZ, M. R. C. Prevenção e controle da infecção Hospitalar: As interfaces com o processo de formação do trabalhador. Texto e contexto de Enfermagem, v. 13, p. 81. Cidade Nova, fev. 2004. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/tce/v13nspe/v13nspea09.pdf>. Acesso em: 16 mai. 2013.

BRASIL. Ministério da Saúde. Departamento Nacional de Auditoria do SUS. Coordenação de Sistemas de Informação. Gabinete de Ministro. Portaria nº 930, de 27 de agosto de 1992. Brasília, 1992. Disponível em: <http://webcache.googleusercontent.com/search?q=cache:4xqE9NYQtfgJ:sna.saude.gov.br/legisla/legisla/inf_h/GM_P930_92inf_h.doc+controle+de+infec%C3%A7%C3%A3o+hospitalar+ministerio+da+saude&cd=2&hl=pt-BR&ct=clnk&gl=br>. Acesso em: 16 maio 2013.

BRASIL. Ministério da Saúde. Gabinete de Ministro Portaria nº 2.616, de 12 de maio de 1998. Brasília, 1998. Disponível em: <http://www.ccih.med.br/portaria2616.html>. Acesso em: 16 mai. 2013. 

CUCOLO, D. F.; FARIA, J. I. L.; CESARINO, C. B. Avaliação emancipatória de um programa educativo do serviço de controle de infecção hospitalar. Acta Paul. Enferm. v. 20, n. 1, p. 50. São José do Rio Preto, dez. 2006. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/ape/v20n1/a09v20n1.pdf>. Acesso em: 16 mai. 2013.

PEREIRA, et. al. A infecção hospitalar e suas implicações para o cuidar da Enfermagem. Texto e contexto de Enfermagem. v. 14, n. 2, p. 256. Goiânia, , Abr-Jun. 2005. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/tce/v14n2/a13v14n2.pdf>. Acesso em: 16 mai. 2013 

SESA - SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE DO PARANÁ. Controle de Infecção Hospitalar. Curitiba, s.d. Disponível em: <http://www.sesa.pr.gov.br/modules/conteudo/conteudo.php?conteudo=1159>. Acesso em: 16 mai. 2013.

TIPPLE, A. F. V.; SOUZA, A. C. S. Prevenção e controle de infecção: como estamos? Quais avanços e desafios? Rev. Eletr. Enf. v. 13, n.1. Goiânia, Jan. Mar. 2011. Disponível em:< http://dx.doi.org/10.5216/ree.v13i1.13697>. Acesso em: 16 mai. 2013.

Comentário

avatar antonio madson
+8
 
 
Oi! meu nome é Antonio e fiz o curso aqui no site de medidas de prevenção e controle de infecções hospitalares, hoje trabalho num hospital particular em Brasília na CCIH e pude ver o quanto esse setor/serviço é fundamental na manutenção da excelência de qualidade de uma instituição seja ela pública ou privada. Agradeço a oportunidade que os colaboradores do coren-MA deu não só a mim, mas a todos que fizeram o curso contribuindo com o nosso aperfeiçoamento profissional.
Nome *
Email (Para verificação e respostas)
Código   
ChronoComments by Joomla Professional Solutions
Enviar comentário
Cancelar
avatar CAMILA MAIA DE SOUSA
+1
 
 
Oi! meu nome é Camila quero um aperfeiçoamento em CCIH
Nome *
Email (Para verificação e respostas)
Código   
ChronoComments by Joomla Professional Solutions
Enviar comentário
Cancelar
avatar MARIA BERNADETE  SCHMITZ
0
 
 
Uma excelente explanação sobre o tema abordado, de forma bem simples e de boa compreenção com abrangência nos diversos planos que atingem as Infecções Hospitalares. Pretendo fazer este curso, pois creio que está aí o acesso para buscarmos a saúde hospitalar.
Nome *
Email (Para verificação e respostas)
Código   
ChronoComments by Joomla Professional Solutions
Enviar comentário
Cancelar
avatar Silvia
+1
 
 
Temos que aprender e atualizarmos nossos conhecimentos, este programa de cursos e informações e suporte dado pelos profissionais é muito bom. Fiz um curso e gostei da dinâmica como é realizada e de forma simples e direta.
Isso nos dá um suporte muito bom para podermos trabalhar com segurança, tendo conhecimento o porque de certas normas e regras e como são feitas.
Nome *
Email (Para verificação e respostas)
Código   
ChronoComments by Joomla Professional Solutions
Enviar comentário
Cancelar
Verifique o Nome *
Informe o Email*
Verifique o Código*   
Chronocomments
Enviar Comentário

Atendimento Online


LiveZilla Live Help

Horário de Atendimento: Segunda a Sexta
Das 08h00 às 17h

Calendário de Enfermagem 2014


Enquete

Qual o seu maior interesse pelo Programa Proficiência?

Redes Sociais